De Fortaleza a Ushuaia (Etapa 2)

Join Us
 
 
De Fortaleza a Ushuaia  (Etapa 2)
Views 1095 X
Type of trip: Adventure
De Fortaleza a Ushuaia (Etapa 2)
Travel date:   2008-12-26
Starting Country:   Argentina
Participants:   Toni Martins e Andrea Lopes
Vehicle:   4X4
Travelled distance:   3877 km
Continuação da Etapa 1, de Buenos Aires a Ushuaia
Comments
Still has no comments for
De Fortaleza a Ushuaia (Etapa 2)
Leave your comment

  Thank you


The trip
 
2008-12-26:  Buenos Aires    Comuna 1 Buenos Aires
Hoje o dia foi para visitar e filmar o famoso bairro histórico CAMIÑITO (quem não conhece a música?... camiñito que todas las noches..etc etc), pois bem eu ja lá tinha estado, mas cada vez que visito fico mais apaixonado, começo a imaginar o quanto os imigrantes (alguns nossos tambem) sofreram para se instalarem nesta parte do mundo a mais de 15,000km de casa. O bairro é digno de ser visitado, pela sua história, pela cultura, pela gastronomia, pelo tipicismo das casas e acima de tudo pelo seu tango e folclore. Até eu dancei...rs Depois do Bairro Camiñito, imaginem onde me levaram ... Cemitério de La Recoleta, por causa de ver o tumulo de Evita Peron, até filmei e fotografei mas não vou por aqui que acho muito mórbido. Já cansados com o dia voltamos ao hotel para preparar os conteudos para introduzir no site e descansar um pouco porque ás 23 horas vamos para uma casa de Tango para poder filmar e claro ver tambem.
Buenos Aires (dia de Natal) Hoje foi um dia completo, o tempo estava óptimo e assim fomos filmar mais um pouco de Buenos Aires. Fomos fazer um passeio nos canais do Tigre, muito bonito mesmo, até chamam a Veneza de Buenos Aires, dali fomos passar por vários pontos importantes da cidade e finalizamos com almoço (já tarde) muito bom em Puerto Madero. Voltamos ao hotel para montar todos os vídeos e é um trabalhão podem acreditar, em média cada montagem leva entre 3 a 5 horas para deixar tudo pronto e isto é todos os dias, tem vezes que acabo ficando até as 7 da manhã para acabar, mas vale a pena. Agora xixi-cama que amanha temos de sair cedo para Mar Del Plata. Beijinhos ás meninas e abraços aos meninos e a quem não dei um feliz natal...

2008-12-26:  Buenos Aires a Mar del Plata    Mar del Plata Buenos Aires
Cada dia vamo-nos aproximando mais do nosso primeiro objectivo que é USHUAIA a cidade mais a sul do planeta. Hoje saímos de de Buenos Aires (hotel Pestana) e aproveito para mencionar que é um hotel muito bom, mesmo no centro da cidade e com um excelente serviço, podem reservar pelo Clube Travel em: Hotel Pestana Buenos Aires Como ia dizendo saímos às 11 da manhã e sem nenhum problema pois o GPS nos indicou o caminho certinho, pegamos a Ruta 2 com destino a Mar del Plata que fica a cerca de 385km, que ruta, parece que usaram um corta-relvas e cortou tudo... até cerro não tem, parece o nosso Alentejo em ponto grande só que ainda mais plano...rs Imaginem quase 400km de estrada que é sempre tudo igual, tudo plano e tudo grandes rectas, até as vacas e bois são sempre da mesma cor, podia até ter uns bois azuis ou vermelho para dar um pouco de contraste...rs. Chegamos a Mar del Plata onde tínhamos reserva para o hotel Riviera. Qual foi o nosso espanto!!!... o hotel estava em obras (mas a funcionar) só que sem Internet no quarto, e sem Internet não temos como actualizar a informação, mas é de salientar o profissionalismo pois de imediato nos reservaram para outro hotel do mesmo grupo. Resolvido o problema do hotel e arrumadas as malas foi altura de ir procurar um serviço mecânico para fazer a revisão ao troller pois desde que saímos já percorremos praticamente 10,000 km. Muito boa assistência por parte dos mecânicos; tudo resolvido aproveitei para o lavar, aí conheci os donos da lavagem o Ronhy e a Silvina que entretanto me deram muito boas informações sobre locais a visitar na Argentina. Com tanta informação sobre locais interessantes a serem visitados, porque a intenção é não deixar nada atrás, penso que só a Argentina nos vai absorver mais de 2 meses e pelo andar penso que 12 meses não vão ser suficientes, o que já estamos a pensar que pode ir até aos 18 ou quem sabe até mais, mas como o objectivo é dar o máximo de informação sobre todo o continente americano, pois que seja 18 ou 24, daqui não saímos sem vos mostrar todos os locais belos e de interesse deste continente. Para hoje não fizemos nem fotos nem vídeos mas amanha iremos dar toda a atenção a esta cidade e arredores. Agora jantar e dormir que amanha temos de começar cedo.

2008-12-27:  Mar del Plata    Mar del Plata Buenos Aires
Mais um dia cumprido no nosso itinerário. Hoje saímos cedo para conhecer, filmar e fotografar Mar del Plata e as regiões adjacentes. Antes de falar algo sobre Mar del Plata quero frisar algo que venho sentindo desde que entrei no Uruguai e que tenho comentado e mesmo questionado a vários habitantes dos dois países, Argentina e Uruguai. Quem ainda não ouviu falar dos carros "museu de Cuba", pois, Argentina e Uruguai estão um pouco ficando na mesma situação e não só aos carros museu que circulam na estrada. É que em ambos os países sentimos que houve tempos áureos, tempos de riqueza e que hoje a classe média deixou de existir, encontramos a maioria das casas, prédios, ruas, etc, tudo muito abandonado, falta já pintura, falta manutenção, muitas casas abandonadas, falta limpeza, em suma, falta dinheiro. Os carros também mostram essa realidade, dá a entender que até finais dos anos 70 viveram-se bons tempos por estas paragens, mas muita coisa mudou na economia destes dois países. Outro apontamento que quero mencionar é em relação aos portugueses que devem estar por aqui, é que não se vê em lugar algum sinais da sua presença, dá a entender que se escondem, que têm medo de dizer que são portugueses, encontramos em todo o lado vestígios da imigração italiana, alemã, espanhola então nem se fala, mas portuguesa...nada. Em todos os lugares e a todas as pessoas a quem perguntei se conheciam algum habitante de origem portuguesa...ninguém conhece. Restaurante português (sei que tem em Buenos Aires) mas ninguém me soube indicar onde. No Uruguai, nem sombras dos nossos patrícios. Será que somos mesmo uns renegados...rs Bem deixemos de lamurias, mas achei que era bom mencionar. Como dizia no inicio saímos cedo para visitar Mar del Plata, sabem, quando cheguei aqui ontem, ao fim do dia, fiquei meio decepcionado, mas hoje o meu parecer sobre Mar del Plata mudou completamente, uma cidade viva, uma cidade turística, muito igual a tantas que encontramos no sul de Espanha, uma cidade com muito que fazer principalmente na época balnear. Percorremos o litoral até Miramar por um lado (47km sul de Mar del Plata) e fomos até Mar Chiquito, pelo outro (38km norte de Mar del Plata) uma costa agradável, não posso dizer linda, pois ficaria sem adjectivos para lugares bem mais bonitos, mas é agradável. Fomos visitar o Puerto e ver a colónia de lobos marinhos no seu habitat quase natural, digo quase pois eles apesar de selvagens instalaram-se no porto de pesca (mas ò bicho mal cheiroso) ainda pensei em comprar uns perfumes para lhes oferecer. Depois fomos almoçar e pela primeira vez vi algo mencionando terras lusas, calamares a la portuguesa... parecia um guisado de lulas, mas estava bom sim senhor. Agora vou preparar as fotos que não dá para montar os vídeos por falta de espaço, se instalo todos os sistemas tenho de por a cama ao alto, quando abro a porta do quarto ja tropeço na cama e se me descuido muito caiu na banheira, assim hoje podem ver as fotos que amanhã preparo os vídeos. Temos de nos ambientar ao que temos...rs Até amanhã já em Bahía Blanca.

2008-12-29:  Mar del Plata a Puerto Madryn por Bahia Blanca    Bahía Blanca Buenos Aires
Bem foi uma tirada das grandes. Saímos de Mar del Plata em direcção a Bahía Blanca, pois era nossa intenção ficar de 29 para 30 nesta cidade. Quando chegamos demos uma vista geral e resolvemos seguir viagem, pois não vimos que houvesse qualquer interesse do ponto de vista turístico ou outro para ficar e documentar. Assim seguimos para Puerto Madryn

2008-12-29:  Puerto Madryn    Puerto Madryn Chubut
Assim seguimos para Puerto Madryn, e que tirada, foram mais de 1100Km, por uma estrada boa, mas a mesma coisa desde Buenos Aires, uma recta permanente, quase não há curvas, a paisagem repete-se a cada até a linha do horizonte, depois entramos na Patagónia e seguimos a Ruta 3, então é que parecia que a estrada nunca mais terminava. Postos de combustível ao longo da via, quase não tem, penso que contamos nos 1100km uns 6 postos, imaginem que quando precisei de abastecer estava racionado o diesel porque já estavam quase sem combustível e precisavam guardar para todos os que precisassem, lá convenci a me venderem pelo menos 100pesos. Foi um dia duro, mas deu para fotografar e filmar ao longo da estrada, já já ponho no ar. Chegando a Puerto Madryn, fomos procurar hotel com Internet e com algum espaço no quarto para poder instalar tudo. Encontramos um hotel muito bom, novo (só 2 meses) mesmo o que estávamos a precisar, descansamos um pouco, fomos jantar e quando voltamos ia começar a montar os vídeos e as fotos... curto circuito qualquer no quarto, ficamos sem electricidade... rs Mudar de quarto... nem pensar. Dormir que depois logo iam reparar e assim fomos descansar para o dia seguinte, pois resolvemos ficar 2 dias aqui.

2008-12-30:  Puerto Madryn e Península Valdez Puerto Madryn    Biedma Chubut
ESTOU MORTO de cansado. Saímos do hotel cedo (10 da manha..rs) para ir ver as colónias de lobos marinhos, pinguins, elefantes marinhos e baleias, como não sabíamos onde essa "gente" ficava, fomos em direcção a sul ao longo da costa, uns 15 km depois de Puerto Madryn chegamos a entrada de uma reserva de lobos marinhos, a simpática da guarda do parque informou logo que estavam muito poucos, porque estava a maré cheia e eles saiam para almoçar..rs E agora?... perguntei eu, onde vamos ver isso tudo? queremos filmar e claro ver também. Ela nos indicou a reserva da Península Valdez. Lá íamos encontrar tudo isso, mostrou-nos o mapa de localização e lá fomos nós para a famosa península, sem antes perguntar pelas baleias, ao qual ela respondeu que já tinha passado a época (azar nosso, chegamos tarde). Pelo GPS verifiquei logo que ia ser um dia longo, pois para chegar lá iam ser uns 180KM, só para chegar á primeira colónia. Depois de uns 70Km chegamos a entrada do parque, pagamos 45 pesos cada pessoa para entrar e seguimos viagem... e que viagem, acabou a estrada asfaltada e começa a estrada de Rípio (terra batida), imaginem, fizemos 300km só ao longo da península para ver os bichinhos (encontramos) mas foi o primeiro teste duro ao troller, pó fino que entrava por todo o lado, estrada de trilha ondulada que tremia o carro todo, paisagem sempre igual, sem uma árvore, estações de serviço ou bares ou lá o que fosse para poder parar... nada, proibido parar na berma da estrada, bem uma loucura, mas passamos a prova e trazemos boas imagens para vos mostrar, mas quem quiser visitar prepare-se para um dia bem duro, e leve farnel de casa senão passa fome e sede. Depois desse dia, voltamos a Puerto Madryn para cuidar do troller que estava uma lastima, tinha mudado de cor, até nós. Andamos meia hora a procura onde lavar o carro, depois 1 hora a procura de uma máquina ATM para levantar dinheiro, depois mais de meia hora procurando um posto de combustível que tivesse diesel e que aceitasse cartão, já não tinha chegado o dia todo a procura de bicharada... foi para não perder o hábito de procurar sempre algo. Depois fomos jantar num restaurante. um peixe de referencia... rs que peixe!!!... eles podem saber preparar carne grelhada, mas peixe.. ai ai. Uma parrillada de peixada e marisco que só comemos as rodelas de lula. Agora já estou instalado para montar os vídeos, senão vai acumular demais. Até amanha, já em direcção a Comodoro Rivadavia a procura dos portugueses perdidos

2008-12-31:  De Puerto Madryn a Comodoro Rivadavia    Comodoro Rivadavia Chubut
Cada dia nos sentimos mais compensados pelo nosso trabalho e por sabermos que milhares de pessoas estão a acompanhar esta nossa reportagem. Outro dia reclamei que não encontrava vestígios de portugueses por estas paragens, e para nossa surpresa e acima de tudo satisfação, um leitor assíduo do Regiao-Sul/Diario Online viu a informação da nossa viagem, entrou no Rotas e leu os nossos comentarios/lamurias e prontamente respondeu dando todas as informações sobre a comunidade portuguesa em Comodoro Rivadavia, talvez onde se encontra a maior comunidade Lusa na Argentina com cerca de 3800 portugueses "originais"..rs. Não contando os descendentes. Como estávamos mesmo a sair para Comodoro, entramos em contacto com o Oscar Brito, "O Oscar é filho de pais portugueses originários de São Brás de Alportel mas já nascido aqui em Comodoro", como dizia, entramos em contacto e prontamente se prontificou a nos encontrar no hotel aqui na cidade de Comodoro, assim, conhecemos uma pessoa excepcional que nos mostrou um pouco da cidade pois já era fim do dia, e nos levou a conhecer a sua família e a sua casa e os 4 saímos para jantar. Ficou já combinado um almoço para amanha, que vai ser preparado pela sua esposa "carneiro assado" aquele que demora umas horas a assar ...hummmm, e ela diz que é o melhor carneiro da Patagónia "receita do bisavô que é de origem lituana... nem vou falar mais nada... só esperar para amanha que já me esta a crescer agua na boca. Bem hoje senti-me já um pouco em casa, engraçado pequenas coisas do nosso país que em nossa terra não damos valor e que a 20,000km fazem grande diferença. Pois é, nada melhor deixar de ter algo para darmos o devido valor. Amanhã logo conto como foi o almoço e como vai ser a nossa passagem do ano. Vamos fazer 2 passagens, aliás 3 passagens. A minha com hora de Portugal, a da Andrea com hora do Brasil, e a de cá com hora da Argentina (Comodoro que é uma hora menos que Buenos Aires), por isso se não der noticias amanha é que ja estamos tão bebados tão bebados que nem vamos ver as teclas, e se as fotos e vídeos ficarem tremidos, faz favor de não reclamar que amanha vai ser um tri-dia/noite que começa às 10 da manhã.

2008-12-31:  Encontro com a comunidade Portuguesa de Comodoro Rivadavia    Comodoro Rivadavia Chubut
Hoje foi um dia preenchido na totalidade. Começamos ás 10 da manhã, quando o Oscar Brito me apanhou no hotel para recolher imagens de Comodoro em vários pontos da cidade, depois fomos buscar a Andrea que tinha ficado a organizar a documentação do més. Almoço (e que almoço) O Óscar tinha-nos convidado no dia anterior para almoçarmos em sua casa, um carneiro assado a maneira Gaúcha, e como todos bem frisam é um carneiro da Patagónia, não é um carneiro qualquer. E o que posso comentar sobre o almoço é de que até hoje nunca tinha comido uma carne tão macia, tão saborosa, tão tudo que nem tem palavras, vejam o video que vale a pena... faz crescer água na boca. Os nossos parabéns ao sogro do Óscar que é um cozinheiro excelente, aliás já recomendei que vá para Portugal abrir um restaurante. Depois do almoço fomos recolher imagens de Rada Tilly. Rada Tilly é a cidade onde vive a família Brito, uma cidade distante 10km de Comodoro, uma cidade muito bem arranjada, moderna e de casas de primeira linha.. (é onde vive a classe A de Comodoro...rs). Subimos ao miradouro de Rada Tilly onde se encontra o parque natural Punta Marqués, que fica também num cabo que entra pelo mar dentro, e que cabo!!!, altura de fazer encolher ... tudo. Lá em baixo junto ao mar a maior colónia de lobos marinhos que vi até agora, eram centenas, senão milhares, paisagem... simplesmente indescritível. Vejam o video. Seguidamente, ás 5 da tarde, fomos conhecer a associação portuguesa e entrevistar o Cônsul Honorário de Portugal em Comodoro assim como os responsáveis pela associação. Ficamos a saber muito sobre o passado dos imigrantes nestas paragens, e acima de tudo o que sofreram para que os seus descendentes chegassem até hoje com outras condições. Vejam a reportagem no video Depois fomo-nos preparar para a passagem de ano. Foi talvez umas das melhores passagens de ano que passei, juntamo-nos á família do Óscar e mais uns amigos que nos receberam como se já fizéssemos parte da família há muito tempo, foi sem dúvida uma noite inesquecível. Não temos palavras para agradecer tudo o que fizeram por nós, a forma como nos trataram, a forma como nos receberam. A nossa promessa ficou feita, assim que nos for possível voltaremos, mas da próxima será de avião...rs Só mencionar que Comodoro vivem comunidades de praticamente todos os países, na passagem de ano convivemos com pessoas de origens distintas tais como Portugal, Lituania, Croacia, Italia e logicamente da Argentina. E me desculpem se esqueci alguma comunidade que estivesse presente. Aconselho a todos que possam visitem esta cidade e principalmente a partir de 4 de Setembro que é quando se comemora o dia do imigrante, esta festa dura por quase 2 meses, vale a pena visitar, são mais de 25 comunidades diferentes, cada uma fazendo a sua festa. Como apontamento Comodoro é a capital do petróleo na Argentina, foi para trabalhar nas companhias petrolíferas que os nossos conterrâneos e outros vieram cá parar, pois Comodoro fica encaixado num deserto, distante de qualquer outra localidade, a mais próxima fica a cerca de 200km "Sarmiento". Como nos contaram, o vento era tão forte "era e é" que no inicio, quando ainda não havia nada, a mãe de uma das pessoas com quem falamos chorava porque tinha dificuldade em chegar a casa devido a força do vento. Acredito, mas acredito que chorava mais por não ter forças para voltar a sua pátria e para junto dos que talvez nunca mais voltou a rever.

2009-01-02:  Comodoro Rivadavia a Rio Gallegos    Río Gallegos Santa Cruz
Hoje foi um dia para viajar, fizemos cerca de 800km por estrada boa de pavimento, mas terrível em todo o restante. Vento fortíssimo de frente e lateral e constante, que não fosse ser pesado o troller a gente voava, depois a estrada que repetiu os trechos anteriores, mas ainda pior, era um esperar chegar, imaginem um disco antigo riscado...rs Volta e toca o mesmo, assim era a estrada, olhava o horizonte até perder de vista esperando que quando la chegasse viesse outro cenário... nada, outro horizonte igual e igual e assim foi ate chegar, salvo muito poucas excepções era plano e plano e recta e recta... Eu ja sei que estou chegando ao.... do mundo, mas podia ser menos igual não é. Agora imaginem cada vez que eu parava para algo... pôr combustível por exemplo porque nem há nada para parar, é que alem de não ter nada de nada, não tem gente, nem casas, nem quase carros. Então quando eu parava para combustível (só há um posto em média a cada 200km) saía do carro e ... um vento terrível, parece que alguem abriu as portas de um corredor e fez uma corrente de ar terrível, só que gelada ainda por cima. Temperatura até Comodoro andava em torno dos 20 a 26 graus e eu já achava frio, agora já esta abaixo dos 14 e humidade quase nula, menos de 15%. Assim que chegamos a Rio Gallegos fomos correndo comprar roupa de frio daquela que se usa nos pólos, que estamos a caminho de um, e se aqui é assim eu nem quero imaginar como vai ser em Ushuaia, e depois fazer o passeio de barco naquele canal. Em relação a fotos e vídeos...rs Olhem eu achei melhor não por nada hoje porque senão iam dizer que eu tinha repetido vídeos anteriores, é que nos últimos 2000km o cenário é praticamente o mesmo e em relação a Rio Gallegos não tem nada de especial, tem muita coisa a visitar mas é tudo no caminho para sul, então amanha voltamos a gravar e fotografar o que haver de interessante. Até amanha que vou deitar e pareço mais um esquimó que outra coisa, putz, lá se foram as minhas bermudas, chinelas e t-shirts... ai ai

2009-01-03:  Rio Gallegos a Cabo Virgenes    Güer Aike Santa Cruz
O dia começou normal, faz hoje 1 més que saímos de Fortaleza e já percorremos 13460Km Saímos de Rio Gallegos ás 11 da manhã para ir directo a Punta Delgada, com passagem pela Laguna Azul, mas... Poucos Km depois de Rio Gallegos vimos a placa para Cabo Virgenes e resolvemos sair da Ruta 3 e entrar, começou o nosso calvário. Estrada terrivel de rípio(terra batida), mas antes de chegarmos a Cabo Virgenes, quisemos ir por outra estrada para passar por Punta Loyola, acabamos por voltar para trás porque não tinha acesso a Punta Loyola, lá seguimos para Cabo Virgenes, ao fim de 3 horas de estrada péssima, chegamos, foram 120km para chegar, mais os 70km que tinhamos feito meio perdidos, muito pó, muito buraco, quem estava afinal no Paris-Dakar eramos nós. Chegados a Cabo Virgenes sorte que tinha pelo menos um restaurante muito simpatico, onde comemos muito bem, "picada patagonica". Aí perguntamos se havia uma outra estrada para regressar... negativo, tem de ser a mesma, nem queria acreditar, mais 127km pelos mesmos buracos. Como não havia nada a fazer, senão voltar pelo mesmo caminho, fomos visitar a pinguineira que fica a 6km do Cabo. Valeu a pena, milhares de pinguins





na epoca de reprodução, que nos deliciaram com muitas situações que docu

mentamos em video e fotos. Depois foi o sacrificio de voltar pela mesma estrada, e finalmente eram 5 horas da tarde, chegamos a Ruta 3 para seguir para Punta Delgada, já tinhamos feito 360Km. Na estrada para Punta Delgada, a escassos 30Km fomos visitar Laguna Azul "Antigo vulcão adormecido", valeu a pena, vejam os videos e fotos.

2009-01-03:  Cabo Virgenes a San Sebastian (Fronteira Chile Argentina)    Río Grande Tierra del Fuego
Depois de Cabo Virgenes foi o sacrifício de voltar pela mesma estrada, e finalmente eram 5 horas da tarde, chegamos a Ruta 3 para seguir para Punta Delgada, já tínhamos feito 360Km. Na estrada para Punta Delgada, a escassos 30Km fomos visitar Laguna Azul "Antigo vulcão adormecido", valeu a pena, vejam os vídeos e fotos. Chegados a fronteira da Argentina com Chile fomos fazer os procedimentos de saída e depois de entrada no Chile, tudo normal, pessoal muito prestável e muito simpático, todos querem é ver o equipamento que estamos usando no Troller e não se interessam por mais nada. rs Chegamos a Punta Delgada "Estreito de Magalhães", esperamos um pouco e lá pegamos o Ferry para atravessar para o outro lado "Puerto Progreso". Travessia normal, o mar estava bem calmo e nos fomos deliciando com as acrobacias dos golfinhos, tentando apanhar em video e/ou foto. Saímos do Ferry, olhei o manómetro de combustível, estava pouco menos de meio e pensei que ia ter um posto algures nos próximos 150km, já era fim do dia, a noite estava chegando e seguimos viagem. Poucos Km depois de Puerto Progreso, acaba a estrada asfaltada e começa de novo o martírio da terra batida, pista ondulada, muito pó e buracos e postos de combustível.. nada. Quando o GPS marcava pouco mais de 100km para San Sebastian, mas desde que entramos no Chile já tínhamos percorrido mais de 100km, então pelas minhas contas se chegasse a San Sebastian seria sorte, pois eu imaginava combustível para uns 180km no máximo e pela Km percorridas e os que o GPS indicava, teria de percorrer cerca de 210Km. Não se via uma pessoa, uma casa, era deserto total, trânsito praticamente nenhum, entrou a noite e nós esperando acabar o combustível a todo o minuto, ainda faltavam 60km para San Sebastian, acende a luz de reserva, pronto!! vamos ficar aqui no meio do nada, temperatura de 7 graus, vento terrível, nada onde pedir ajuda, temos telefone satélite, mas telefonar para quem?. Seguimos viagem sempre controlando a aceleração e UFA, chegamos a San Sebastian... rs Eram meia dúzia de casas sem posto nenhum, havia um hostal onde perguntei pelo posto mais próximo, o que me informaram que era a 10km, menos mal, mas sera que o combustível chega? Para ajudar tínhamos o controlo de fronteiras de novo, saída do Chile e entrada em território Argentino, duas paragens e onde ficava esse posto? se havia algum, podia encerrar, porque já era quase meia noite. Fizemos o controlo de fronteiras, e logo a seguir a fronteira da Argentina estava la o posto, nunca adorei tanto ver um posto de combustível, acreditem, nunca. Mandei encher o tanque, que leva 75 litros, levou 74,3. Desta safamo-nos, mas depois era preciso continuar, era noite cerrada, sorte que a estrada voltou a ser asfalto, chegamos a Rio Grande, a fome era muita, restaurantes nada aberto...rs Um posto de combustível aberto sempre deu uma ajuda ao estômago e toca a seguir o GPS, que nos leva de volta a terra batida, vá lá que foi só para sair da cidade e entrar de novo na Ruta 3. Continuamos viagem para Ushuaia, passamos Tolhuin e estávamos a cerca de 96km de Ushuaia, foi quando comecei a perceber que estávamos a entrar nas montanhas que antecedem Ushuaia, ja a cerca de 70km para chegar, resolvi voltar a Tolhuin, pois não queria entrar em Ushuaia de noite e muito menos deixar de apreciar a beleza do acesso, assim voltamos a Tolhuin e paramos num posto de combustível "que hotel não vi nenhum", para esperar nascer o sol, que aqui nasce bem cedo. Não sei a que horas nasce, porque dormimos no banco do jeep e acordamos já o sol ia alto, eram umas 6 da manha. Vamos começar a preparar os vídeos e fotos para verem, pois tudo isso que passamos valeu a pena. Espero é não ficar sem combustível de novo

2009-01-05:  Finalmente Ushuaia    Ushuaia Terra do Fogo
A primeira etapa esta cumprida. Hoje chegamos finalmente a Ushuaia, a cidade mais austral do planeta. Chegamos 1 més e 1 dia depois de termos saído de Fortaleza, mas valeu a pena. Entramos em Ushuaia por volta das 7 da manhã e iniciamos o dia dando voltas pela cidade e ao mesmo tempo procurando hotel para ficarmos. Como ainda era cedo fomos dando voltas, entrando em todas as ruas e acabamos por visitar o Parque Nacional Tierra del Fuego, fizemos o passeio no Trem do Fim do Mundo "Antigo Trem dos presos". E fomos tomando notas dos locais a visitar nos proximos dias. Ainda nãonos foi possivel editar os videos dos ultimos dias porque a ligação internet a partir daqui "pelo menos no hotel" é pessima, e não conseguimos fazer upload dos videos, mas assim que for possivel estarão no site. Para já conseguimos editar algumas fotos, porque leva uma eternidade enviar para o sistema mas vamos conseguindo. Amanha iremos fazer um passeio no canal de Beagle e documentar tudo o que for de interesse "espero que esteja sol" o que por aqui é algo raro. para já vamos dormir que já é tarde aqui.
 
Dia Seguinte

Hoje saímos cedo para fazer o passeio de barco no Canal de Beagle. O barco saíu do porto de Ushuaia ás 9:30 e seguimos em direção ao sul para ver as colonias de lobos marinhos e diversas aves (mais bichinhos...rs), havia tambem passeio para ir ver pinguins... "mas eu acho que já vi e sofri bastante para os ver", o passeio durou pouco mais de 2 horas, mas digamos que foi agradavel. Durante o passeio notei que havia portugueses a bordo, com um dos casais ainda falamos (pouco)..rs Realmente apetece-me fazer um comentário (triste) Sempre que encontro portugueses por esse mundo fora, escondem-se, podem ver que somos do mesmo idioma, mas evitam falar, como é que eu me posso admirar quando reclamei dos imigrantes? está no sangue, parece que fogem com medo que lhes peçam algo, porque é que nós não somos mais amigos, mais unidos, quando encontramos brasileiros é uma festa, e até mesmo de outros países, mas dentro de um barco 2 horas, estávamos lá uns 10 portugueses, e não eram o mesmo grupo ou mesma família, vocês acreditam que se não fosse eu meter conversa com um deles ninguém falava com ninguém, e mais depois da pouca conversa parece que forçada, passaram a nos evitar, triste, mas somos assim (eu não sou,) mas sou português, e estando nós a mais de 20000km de casa não seria bom sermos menos "vergonhosos" para não dizer outra coisa que fica mal aqui. Quando passo as fronteiras e digo que sou português, sou muito bem tratado, quando falo a alguém "que não seja português" que sou português sou bem tratado, quando ver um português vou começar a dizer que sou outra coisa qualquer menos da terra dele, para não ficarem com medo que lhes peça algo... Excepto os portugueses que conheci em Comodoro que foram uma simpatia. Em suma somos um povo triste, vergonhoso, egoísta, e não gostamos de nos relacionar com o vizinho.. será? Esquecendo que encontrei esses patrícios no fim do mundo, acabado o passeio voltamos ao hotel, preparar fotos e descansar, sem antes reclamar que não temos Internet que nos permita enviar os vídeos; razão apresentada "A ligação Internet com Ushuaianão tem potencia ", estou mesmo no fim do mundo e já agora o meu parecer sobre Ushuaia. Não fosse mesmo no fim do mundo não vinha cá ninguém, é caro, o mais caro que vimos em toda a Argentina "e é porto franco, não pagam impostos, imagina se pagassem", o serviço no hotel é mau, um hotel de 4 estrelas caríssimo e o pior café da manhã desde que saímos de Fortaleza, os passeios é mesmo para turista, e caros, alem dos que gostam de andar a pé com frio no nariz, não vi muito mais para fazer, tudo está feito e preparado para turista, aliás não parece haver outra industria por aqui, por isso deveriam tratar melhor, mas .. ate parece quase o ... não digo o resto que fica mal e eu sou meio desbocado. rs E nós que pensávamos ficar aqui uns 4 a 5 dias...pensávamos..rs Não é lugar que se volte depois de termos dito... "estivemos na cidade mais austral do planeta, pronto valeu a pena". Pessoal, esperem eu chegar a um lugar onde haja Internet com alguma potencia para editar os vídeos. Agora é somente esperar por amanha para iniciar a próxima meta que é... Machu Pichu no Peru, mas até lá muito dedo no teclado vai correr, e muita estrada. Como ja tinha terminado o dia 5 sem ter jantado, e como jantamos muito bem, devo também de elogiar o que for de elogiar e o jantar de hoje foi excelente, cordeiro fuegino... hummm nem imaginam, vale a pena vir ate estas paragens so pelo cordeiro..rs Mais logo ainda dizem que sou bipolar, também podera, sou de um pólo e estou no outro, quem mais bipolar que eu...rs

 
 
Travels from Toni Martins
De Fortaleza a Ushuaia (Etapa 2)
3877 km
De Fortaleza a Ushuaia (Etapa 1)
6957 km
 
 
 
My travels
Space where you can create day by day the diary of your trip: In this space you will be marking on the map every place you went, telling your story about this place and sharing photos. At every step you can share with your friends on facebook and on your page that you have created in INFO4CAMPER
 
 
Research by country
 
Research by country
 
Research by country
 
Research by country
 
Research by country
 
Research by country
 
Research by country
 
Research by country